A única maneira de fazer algo grandioso é ter paixão pelo que faz. Isi Golfetto

Fabergé e os Ovos de Páscoa Imperial
Isi Golfetto
Mais conhecido por sua coleção de Ovos de Páscoa Imperial, criados exclusivamente para os últimos czares russos, Fabergé alcançou o ápice da excelência com essas joias nas décadas douradas entre 1885 e 1917. Uma extraordinária história de obras-primas que sobreviveram ao catastrófico fim de uma dinastia.
Quando mentes brilhantes, paixão e talentos se unem...
espere por uma obra-prima!
Primor, beleza, exuberância, luxo, glamour, ostentação… estes adjetivos figuram entre os usados quando o objetivo é tentar descrever os magníficos Ovos de Páscoa Fabergé.
Quando estudava a História da Arte, na faculdade, a professora solicitou que eu apresentasse um seminário sobre a coleção de Ovos de Páscoa criada por Peter Carl Fabergé.
À medida que eu pesquisava ficava encantada com o design de cada joia, os detalhes, as cores, o material utilizado. Então, surgiu a curiosidade de conhecer mais sobre o criador e idealizador dessas obras-primas, eu queria saber como Fabergé encontrava inspiração para criar cada peça, sua trajetória até chegar a corte imperial, saber onde os Ovos Fabergé estariam hoje, que fascínio existe por trás dessas joias que estão entre as mais caras do mundo e disputadas pelos maiores colecionadores.
O que era para ser uma apresentação em classe, se tornou uma mostra cultural na faculdade. A exposição dos Ovos dos Czares e sua descrição foram apresentadas em painéis, similar a este link em PDF.
Definitivamente, não há como descrever a beleza dessas joias em algumas frases, muito menos falar sobre tanto talento e uma história tão envolvente em poucas palavras. A proposta é resgatar um pouco da história dos Czares Russos, em 52 episódios, ou seja, através dessas 52 obras-de-arte e apreciar o legado cultural deixado por Fabergé para a humanidade que, até hoje, encantam o mundo.
A Tradição dos Ovos de Páscoa
A Páscoa era uma data muito especial no calendário da Igreja Ortodoxa Russa. Todos se cumprimentavam com 3 beijinhos, recordavam a ressurreição de Cristo e se presenteavam com ovos, que representavam uma nova vida que surgia e o renascer das esperanças.
Os ovos trocados pelas pessoas do povo eram ovos de galinha decorados. Já os ovos que os membros da família real e os nobres da corte se presenteavam eram feitos de ouro, prata, decorados com esmalte e pedras preciosas.
Até que o czar Alexandre III conheceu o joalheiro Fabergé e decidiu inovar.
Quem foi Fabergé
Peter Carl Fabergé nasceu em 18/05/1846, em São Petersburg. Filho de Gustav Fabergé, aos 24 anos, herdou o negócio de joias que seu pai havia estabelecido em São Petersburgo, em 1842.
Fabergé foi um dos maiores joalheiros de todos os tempos. Ficou famoso pela extraordinária qualidade e beleza de seus trabalhos e, em especial pelos exuberantes Ovos de Páscoa Imperial recheados de lindas e delicadas surpresas. Ganhou reputação internacional, sendo altamente considerado por colecionadores em todo o mundo.

Sua Preparação Profissional
Fabergé estudou nas melhores escolas de São Petersburg e passava longas horas na oficina aprendendo os fundamentos da fabricação de joias com o funcionário sênior de seu pai, o mestre finlandês Hiskias Pendin.
Mais tarde, teve a oportunidade de ampliar e aprimorar seus estudos na Inglaterra, França, Alemanha e Itália. Visitou joalherias em cada país, adquiriu novas técnicas e aprendeu a desenvolver projetos que combinassem o artesanato tradicional com toques criativos.
Fabergé procurava inspiração nas obras dos grandes mestres europeus. O Hermitage, o grande museu anexo ao Palácio de Inverno de São Petersburgo, abrigava tesouros das gerações anteriores de czares. Em 1867, o museu recebeu itens de joias antigas descobertas durante as escavações arqueológicas e precisava de alguém para consertá-las e avaliar seus materiais. Fabergé se ofereceu e trabalhou lá sem ser remunerado.
Em 1882, foi convidado a participar em uma exposição em Moscou, por causa de seu trabalho no Museu Hermitage, Dentre as peças que ajudou a restaurar estavam joias gregas que datavam do século IV a.C., encontradas em Kerch, na costa do Mar Negro. Fabergé obteve permissão para copiá-las e incorporar a seus projetos, tornando-os o foco de sua exibição na exposição. Foi uma decisão inspirada. Fabergé pode mostrar a sua criatividade de joalheiro em uma tradição tão antiga, que nenhum russo poderia deixar de ficar impressionado.
Um artigo da revista Niva sobre o evento, mencionou com entusiasmo: O Sr Fabergé abre uma nova era na arte da joalheria. Depois de vários elogios, fecha o artigo com a frase de ouro: a Sua Majestade honrou Fabergé comprando um par de abotoaduras com imagens de cigarras que, segundo a crença da Grécia Antiga, trazem sorte.
Assim, Fabergé teve seu primeiro grande avanço - o reconhecimento da família imperial. Contudo, por um tempo, continuou sendo mais um entre tantos fornecedores da corte russa.
O tempo que Fabergé investiu na Europa e no Hermitage foram inspiradores. Sua determinação era fazer peças de joalheria que fossem muito mais do que a soma de suas partes. Ele queria elevar o design e o artesanato acima de meros materiais. Certa vez ele disse: coisas caras pouco me interessam se o valor for meramente o número de diamantes ou pérolas que o objeto possui.
Fabergé criou peças de joias que outros joalheiros não foram capazes. Seu talento, sensibilidade, criatividade, delicadeza, dedicação, esmero, paixão aliados às horas de estudo, pesquisa e muito trabalho elevaram Fabergé ao topo da excelência em suas joias.
Os Ovos e a Inspiração para as Criações
A célebre coleção de 52 Ovos foram produzidas por Fabergé e seus assistentes entre o final do século XIX e início do século XX. No início Fabergé não fazia ideia que as suas criações se tornariam uma tradição na família imperial e seriam consideradas verdadeiras obras de arte.
O primeiro ovo do czar Alexandre III à sua esposa, a czarina Maria Feodorovna, era para celebrar o 20º aniversário de casamento naquele ano. Diante do sucesso, o czar passou a encomendar um ovo por ano para a sua esposa.
O czar deu liberdade a Fabergé para o design dos ovos. A única recomendação era que o ovo deveria ser único e conter uma pequena surpresa.
Com grande criatividade e talento técnico, Fabergé superava o desafio na criação das joias a cada ano. Buscava inspiração em fatos na própria família do czar conhecendo o caráter pessoal e as preferências de quem iria recebê-lo, o que tornava os ovos ainda mais fascinantes, além dos eventos temáticos da história da própria Rússia. Não por acaso Fabergé se tornou o joalheiro do czar.
Após a morte do czar Alexandre III, a tradição continuou com seu filho, o czar Nicolau II que passou a oferecer os ovos à esposa, Alexandra Feodorovna e à sua mãe.
Três décadas de história por trás dessas joias que se encerrou com a abdicação do czar Nicolau II. Símbolos que brilharam em tempos de glória e se tornaram sobreviventes após o trágico destino de uma dinastia que desapareceu, mas que ironicamente se tornaram a suprema arte da joalheria mundial.
Onde os Ovos Fabergé estão hoje (acesse o link)
Com o brutal assassinato do czar Nicolau II e sua família, em 1918, após a revolução russa de 1917, da coleção dos Ovos Fabergé 8 estão desaparecidos.
Acesse esse link para saber onde estão os Ovos Fabergé.

Os Ovos Fabergé são as obras de arte mais disputadas pelos maiores colecionadores do mundo
Muito do fascínio despertado pelos Ovos Fabergé e disputados por colecionadores em todo o mundo é a sua raridade, exclusividade. Essas obras de artes envoltas em mistério tornam o seu valor chega a dezenas de milhões de dólares. a confecção primorosa e artesanal, a preciosidade dos materiais utilizados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, a perfeição e a beleza exuberante de cada joia. Além de toda história entorno dessas peças.
Os Ovos Fabergé são uma perfeita combinação de todos esses atributos.
Depois da Revolução Russa, a Casa de Fabergé foi nacionalizada pelos bolcheviques e Fabergé. Temendo pela segurança da sua família foi para a Suíça, onde morreu, 3 anos depois.
A Casa Fabergé, continua produzindo joias sob encomenda e está representada na França, Alemanha e Itália.
Foi um prazer compartilhar com você a história de pessoas que amam o que fazem e fazem o que amam.
Um abraço especial
Isi

Apaixonar-se é mais do que correr riscos, é ver os riscos e não correr.

Apaixone-se e viva um grande amor!
Isi Golfetto
Ah, como é bom viver um grande amor, ter alguém que te completa, se apaixonar por alguém que te acrescenta, amar esse alguém que torna os seus dias mais perfeitos... e faz o seu coração ficar em paz.
As mais belas histórias de amor
tem começo... medo... e sim.
Apaixone-se por alguém que sinta a sua falta, que o seu prazer seja estar com você...
que caminhe ao seu lado e sempre valorize o seu amor.
Apaixone-se por alguém decidido, com vontade de realizar o que pensa e alcançar o que sonha...
alguém que não tenha medo do futuro, que faça planos com você e diga - fica comigo... juntos vamos realizar o nosso amanhã.
Apaixone-se por alguém que goste de conversar com você, que dê atenção quando você fala, que seja a sua prioridade...
alguém que sente orgulho de você, apoia as suas ideias e comemora junto as suas vitórias.
Apaixone-se por alguém que cuida de você, segura a sua mão e segue com você mesmo sabendo que nem sempre tudo serão flores...
alguém que faz qualquer coisa para te proteger... e, quando a tempestade chega te abriga em seus braços, te dá a sua paz e acalma o seu coração.
Apaixone-se por alguém que inspira o seu dia, que desperta o seu melhor, que te respeita e faz você se sentir especial...
alguém que te ama sem medida, que doa os seus braços para você neles dormir e a sua alma para você nela morar.
Apaixone-se por alguém sensível, que repara os detalhes, que lê as entrelinhas, que escuta o seu silêncio...
alguém que seja o seu favorito hello e o mais difícil até breve.
Apaixone-se por alguém que apesar de ser a razão do seu sonho mais bonito, é o motivo da sua insônia...
mas, que segura a sua mão e te dá a certeza que tanto você procura.
Apaixone-se por alguém que faz você entender o verdadeiro significado do amor, que antes de se apaixonar pelo que você é por fora, te ama pelo que você é por dentro...
alguém que mesmo tendo milhões de motivos para ir, decide ao seu lado ficar.
Apaixone-se por alguém que goste de você mesmo conhecendo suas faltas e fragilidades, e que não vai usar isso para te machucar...
alguém que está sempre disposto a encontrar uma forma de fazer as coisas darem certo, e te valorizar para nunca te perder.
Apaixone-se por alguém que não esconde os seus erros e defeitos, mas está sempre pronto a acertar...
que deixa de lado o orgulho, pede perdão e se esforça para ver, de novo, o seu sorriso brilhar.
Apaixone-se por alguém que te ensina que não é a vida que dificulta as coisas... é o medo de mudar e de arriscar a viver a felicidade pretendida, que não é garantida.
E, quando você se apaixonar por esse alguém... vai perceber que nesse amor não há espaço para o orgulho nem para a indiferença. Vai sentir que esse amor é cuidar, é se importar, é querer junto estar.
Você vai compreender que tão bom quanto os lábios que se unem em um beijo intenso e os corpos que se encaixam em uma harmonia perfeita... é viver esse grande amor, combinado pelas almas, antes mesmo dos corpos se encontrarem.
Nosso amor, eu sei, não começou pelo começo... já era amor antes mesmo de ser. Isi  Golfetto

Mães são o primeiro livro lido e o último deixado de lado na biblioteca dos filhos.

Esculpindo valores
Isi Golfetto
Ver o que todos veem nos faz iguais. Ver o que alguns veem nos faz menos gerais. Ver o que ninguém vê nos permite esculpir o futuro e ajudar a construir uma nova história.
Para ensinar valores, não é preciso usar palavras.
Para mostrar que aprendeu, também não.
Os valores que adquirimos são transmitidos nos primeiros anos de vida através do exemplo dos adultos que fazem parte da nossa família, do nosso pai e em especial por uma das pessoas que mais exerce influência sobre nós durante toda a vida - a nossa mãe.
Ao ter em seus braços pela primeira vez aquele pequeno ser tão frágil e indefeso, a mãe vê algo de bom e belo que ninguém mais vê, e pensa - eu tenho um grande projeto em minhas mãos - fazer surgir uma pessoa de valor!
Essa ponderação me fez recordar de um episódio, que segundo consta, aconteceu com o grande mestre do renascimento italiano, Michelangelo.  
Conta-se que Michelangelo caminhava por uma das estradas de Roma com alguns alunos quando depararam com um local onde havia algumas pedras.
Olhando naquela direção Michelangelo exclamou... olhem ali... um anjo!
Os discípulos, procurando sem nada encontrar, perguntaram ao mestre... onde está o anjo?
Michelangelo respondeu... está aprisionado naquele bloco de mármore. Basta tirar da pedra o excesso que ele aparece.  
Qualquer semelhança com essa mãe não é mera coincidência. Como um grande mestre ela vai executar o seu trabalho com toda a sua dedicação, esforço e persistência, de dia e de noite, faça chuva ou faça sol, ano após ano, incansável a desbastar arestas, retirar excessos, ora com golpes firmes, outras vezes delicados, um polimento aqui, uma restauração ali até surgir a sua obra-prima.
A verdadeira identidade de uma pessoa é a soma total dos seus valores. 
Valores esculpidos na infância fazem a diferença no adulto de amanhã.
Cada artista tem as suas próprias ferramentas e habilidades que irão ajudar a esculpir um valor ao invés de outro, um comportamento em vez de outro com base em suas próprias experiências, princípios e valores.
O segredo para que a criança aprenda e manifeste tais valores está em ensinar a partir de um bom exemplo e, principalmente na coerência entre o que se diz e o que se faz.
Amor. Só podemos oferecer o que temos. Ninguém dá amor se não tiver amor para dar. A criança aprende a amar se ela se sentir amada. Um amor, não apenas de palavras, mas demonstrado através de atitudes, conversas, brincadeiras e disciplina.
Perdão. A virtude dos bravos. O perdão é um ato de coragem. Guardar mágoa é envenenar a própria alma. É preciso desenvolver e manter a capacidade de perdoar. É preciso viver o perdão. Sem perdoar o coração fica fechado para amar. 
Honestidade. A base sólida para todos os valores. Ser sincero consigo mesmo e com os outros. Aprender a reconhecer os próprios erros. Nunca mentir por medo ou conveniência.
Respeito x Limites. Para uma vida saudável é essencial limites saudáveis. Respeitar a si mesmo e ao outro. Aprender que não há problema em dizer não quando for pressionado, mas saber aceitar o não do outro.
Responsabilidade. É um dos valores que desenvolve a maturidade e o compromisso. É fundamental aprender a dar a sua palavra e cumprir o que prometeu, assumir a responsabilidade dos próprios atos e decisões. E, sempre realizar as tarefas que lhe foram designadas e dentro dos prazos estipulados.

Escolha x Decisão. É importante aprender a fazer escolhas e saber que não se pode ter tudo o que se quer. A criança precisa compreender que em cada escolha há uma perda e uma consequência. É fundamental ajudá-la a entender os prós e os contras e a pensar na melhor opção para tomar a sua decisão. Mesmo porque não é difícil tomar uma decisão quando você conhece os seus valores.

Paciência x Autocontrole. A virtude dos fortes e de uma vida equilibrada. A criança precisa aprender a controlar os seus desejos e esperar diante de uma demanda sem fazer birras. Esse é um processo que requer várias conversas sobre a situação. Seja firme nessa batalha. Sua paciência será colocada a prova. O controle da situação está em suas mãos. Lembre-se - nada influencia mais do que o seu próprio exemplo.

Resolver Problemas. A criança tem que entender que todo mundo tem problemas e ela também. A superproteção torna uma criança dependente, frustrada e irresponsável. Ela precisa aprender a encontrar a solução dos seus problemas, seja com o irmão ou com o coleguinha da escola, mas saber que você vai estar sempre por perto para ajudar e orientar.

Bom Humor. Viver não é simples, mas pode ser divertido. Rir do próprio erro ou ver um problema sem tanto drama vai diminuir as tensões e conflitos desde tomar uma picadinha na hora da vacina (que vai doer, mas que não é necessário fazer escândalo), até um tombo da bicicleta diante dos coleguinhas.  

Persistência x Resiliência. Essas virtudes estão relacionadas a confiança, força de vontade, superação. A criança precisa entender que a vida vem com decepções e contratempos, desafios e obstáculos. Ela pode aprender a ver esses tempos como oportunidades de crescimento e se tornar mais forte ao invés de ser uma vítima das circunstâncias. Ajude-a a encontrar e dar passos positivos para encorajá-la.

Sonhar. A criança descobre que é capaz quando recebe a oportunidade de sonhar. Ter a capacidade de sonhar e imaginar grandes conquistas desbloqueia o seu potencial. Se ela tem uma ideia e acredita nela, incentive-a a persistir. A vida tem uma maneira muito cruel de frustrar sonhos. Dê sempre o seu incentivo e orientação e ela vai desenvolver a coragem de que necessita para perseverar em seus objetivos.

Autoestima. A autoestima molda as atitudes da criança na adolescência e na vida adulta. É importante apoiar, elogiar e valorizar o que a criança faz bem e incentivar o seu esforço para corrigir o que ainda não domina mostrando que errar é normal. A baixa autoestima é uma das principais causas de distúrbios de ansiedade, tristeza crônica e até depressão.

Empatia. Colocar-se no lugar da outra pessoa é ter a oportunidade de ver as coisas do ponto de vista dela. É um valor essencial para entender que há pessoas que se comportam e pensam diferente e é preciso respeitar. Esse comportamento evita fazer dano gratuito ao outro.

Gratidão. Ser grato torna a pessoa mais sóbria e humilde. Em uma cultura de direitos a qualquer custo e de materialismo, a gratidão brilha como estrelas no céu noturno. É importante ensinar a criança a ser agradecida em todas as circunstâncias, não importa o quão ruim as coisas possam parecer, estar ou ficar.

Ser Mãe é ter a possibilidade única de se tornar um dos maiores exemplos que seu filho pode ter.
Mãe é aquela que conhece o caminho, mostra o caminho e segue o caminho...
que leva consigo seus pequenos seguidores...
pequenos olhos que observam, atentamente, o que dia e noite você faz ...
pequenos ouvidos que absorvem, rapidamente, cada palavra que você diz...
pequenas mãos ansiosas para fazer, exatamente, tudo o que você faz...
e, uma pequena criança que sonha com o dia que será, rigorosamente, como você.

Espere o melhor de si mesmo e faça o que for preciso para torná-lo realidade. Isi Golfetto

Eleve as suas expectativas
Isi Golfetto
A vida acontece no nível das suas expectativas. Eleve as suas expectativas ou seja reduzido por elas.
Você deve esperar grandes coisas de você
antes de realizá-las.
Pessoas com grandes sonhos têm um poder de realização, energia e entusiasmo contagiantes. Quando partem em busca da conquista dos seus sonhos mantêm as suas expectativas em alta.
Idealizam sempre o melhor cenário - o êxito em sua carreira, o sucesso do novo projeto, a alegria de viver um grande amor.
Criar altas expectativas é esperar sempre pelo melhor, é dar o melhor de si mesmo, é ir lá e fazer o que preciso for para mover o seu sonho até a realidade.
A sua expectativa é uma prévia das próximas atrações da sua vida!
Mas, e quando nem tudo sai como o esperado? E quando as expectativas são frustradas?
O objetivo de cada frustração não é diminuir as suas expectativas é elevar os seus padrões.
Vamos imaginar uma recepção ao ar livre com os amigos, em frente ao mar, numa agradável tarde de outono, ou fazer uma caminhada no parque com a família e tomar um delicioso sorvete... existe algo mais agradável?
Há boas chances de tudo sair como o esperado... ou não.
Você se lembra da última vez que a sua expectativa não coincidiu com aquilo que esperava? O que você sentiu? Como reagiu?
Outra tarde, enquanto eu caminhava no parque, presenciei uma cena engraçada (pelo menos para mim).
De repente começou aquele berreiro. Quando me voltei para ver o que estava acontecendo vi um menino chorando e apontando para um sorvete estatelado no chão.
Que drama! Não tinha quem não parasse para olhar e esperasse para saber como aquela história iria acabar.
Bem, o pessoal que estava com aquela criança tentava acalmá-la de tudo quanto era jeito... um deles dizia que iria pegar outro sorvete... o outro falava que ele não precisava ficar triste, uma das crianças oferecia o próprio sorvete... mas, nada do que era dito ou feito consolava o menino. Inconformado ele chorava ainda mais, gesticulava e repetia que queria aquele sorvete... que ele não tinha feito nada para derrubar o sorvete... que não entendia por que o sorvete havia caído...
Sabe... aquela cena me fez refletir sobre a reação de muitos adultos diante das suas frustrações. Muitos se posicionam como vítimas do mundo, outros se debatem entre lágrimas, gritos e gestos, e ainda há aqueles que encaram a plateia e falam em alto e bom inglês... what are you looking at!
Perderam, uma vez mais, a oportunidade de aprender com aquela situação, crescer, amadurecer.
Frustrações fazem parte da vida e vão estar presentes em todas as áreas - em nosso relacionamento, no âmbito familiar, em nossa carreira, em nossas atividades. Da mesma forma que em algum momento, ou vários, vamos decepcionar as expectativas que os outros têm sobre nós. 
Não temos o controle sobre quase NADA do que nos acontece. A única coisa que você e eu temos pleno, irrestrito e absoluto controle é escolher como agir e o que fazer!
Gerenciar expectativas é saber atuar diante das frustrações e mudar aquele cenário.
Aprenda com a situação. A frustração nos deixa com uma venda nos olhos que impossibilita de enxergarmos a situação em sua totalidade, impede o nosso crescimento e a capacidade de mantermos relações saudáveis. Em quais áreas você fica mais vulnerável? O que você tem feito a respeito? Se quiser avançar um nível, vá firme nessa busca. Escreva sobre cada uma das suas expectativas não atendias e procure verificar se são coerentes com a realidade.
Nada está no seu controle. Expectativas são o combustível perfeito para as emoções correrem soltas. Como você lida com situações inesperadas? Se o seu voo é cancelado na última hora devido as fortes chuvas ou, se aquela linda recepção ao ar livre, que você planejou nos mínimos detalhes, voou pelos ares em virtude de uma ventania repentina! Aceitar que quase nada está sob o seu controle e aprender como agir vai permitir que você esteja melhor preparado para lidar com o que pode acontecer.
Não idealize o caminho do outro. Todas as pessoas têm as suas próprias histórias e convicções que não serão exatamente as suas. Aceite a forma de ser da outra pessoa. Assuma que todos estamos fazendo o melhor com o que sabemos. Leve em consideração e reconheça o que ela pode te oferecer ao invés de se concentrar no que você espera que ela te ofereça..
Foque na sua responsabilidade. Concentre-se nas coisas que estão sob sua responsabilidade... suas atitudes, seus sentimentos, suas escolhas, seus desejos, seus impulsos. Reconheça e respeite os seus limites. Procure manter uma rotina equilibrada. Aprimore a sua força de vontade. Mantenha o foco no que é real ao invés de se distrair e se deixar levar por ideias, ações e emoções indesejadas. Saber a diferença entre o que está e o que não está sob seu controle e agir de acordo vai tornar a sua vida mais serena e consciente.
Mude a perspectiva. Ajuste a sua maneira de sentir, pensar e ver. Se em algum momento achar que a vida tem sido injusta com você - mude a sua visão, tente uma nova perspectiva. Procure investigar se as suas expectativas são reais - passe uma semana escrevendo dez coisas por dia que estão indo bem em sua vida e, depois me conte - a vida tem sido realmente tão injusta quanto você acreditava?
A gente não vai muito longe se ficar dando atenção a cada frustração que aparecer pelo caminho.
O que você está disposto a fazer para elevar as suas expectativas em cada área e viver uma vida de realizações?
Sua vida não é o que deveria acontecer, é o que está acontecendo com você aqui e agora.
Até a próxima!
Um grande abraço  
Isi