Você bloqueia seu sonho quando permite que seu medo fique maior do que a sua fé. Mary M Morrisey

Let your faith be bigger than your fears!
Isi Golfetto
Quando aprendemos a aceitar a adversidade como uma parte natural da vida, a gente começa a trabalhar com os nossos pensamentos diante dos desafios que surgem e nos preparamos para lidar com a situação.
Nada em nossa vida acontece por acaso...
ela é perfeita naquilo que tiver que ser.
Quantos são os medos que armazenamos em nosso coração? Quais são os fatores que limitam a nossa positividade? O que tem o poder de paralisar ou bloquear nossos sonhos ou planos? Como podemos encontrar uma perspectiva positiva diante dos desafios?
Vou contar um fato que paralisou a minha autoconfiança por algum tempo e me deixou no chão... e como consegui superar aqueles momentos tão sem lógica e tão sem propósito em minha vida.
No início de julho de 2011, voltei ao meu ginecologista com os resultados dos exames do check up anual. Depois de alguns minutos eternos lendo o laudo da mamografia, o médico me disse com toda a calma e firmeza... foi encontrado uma pequena alteração na mama esquerda... a que ele chamou de Microcalcificação Agrupada... e que seria necessário a realização de uma cirurgia.
Só me lembro de ter perguntado... como?
De repente comecei a explicar para ele (meu ginecologista há mais de 8 anos...) que eu sempre fazia o check up anual... que eu sempre tive o cuidado de apalpar as mamas como medida preventiva e nunca senti um caroço... que não havia casos de câncer de mama na minha família...
A sensação que eu tinha era de que os meus argumentos pudessem convencer o médico de que o diagnóstico estivesse errado.
O médico continuou explicando que o diagnóstico era de um carcinoma... Carcinoma Ductal in Situ... do tipo curável... que não seria necessário retirar a mama pois a célula alterada permanecia dentro do ducto, sendo que seria retirado apenas a lesão.
Como mencionei... aquilo que ele falava não fazia sentido nenhum para mim... e comecei a delirar de vez... achei que seria mais uma na estatística de mulheres que morrem de câncer de mama... não conseguia entender a razão daquela situação. 
Precisei de uma força descomunal para voltar a minha atenção as informações do médico que falava e escrevia naquelas guias médicas os exames específicos e preparatórios para a cirurgia.
Lembro-me de ter suspirado fundo procurando me acalmar. Depois pedi licença para sair e tomar água... precisava de um pouco de ar... recarregar minhas energias. Sem exagero... parecia o fim do mundo... vi que não tinha nada mais a fazer. 
De repente comecei a pensar nos textos motivacionais que eu escrevia. Eram tão claros e simples... mas no momento que eu mais precisava entrei em pânico! Como eu poderia beneficiar os meus leitores se eu mesma não estava contornando aquela situação?
Aprendi que cada um de nós tem um tempo, uma maneira de se acalmar, de se recompor. Eu preciso compreender a situação em que me encontro.
Ao retornar para casa pesquisei muito sobre o diagnóstico que recebi.
Fiz, também, várias pesquisas sobre como superar o impacto de uma notícia inesperada e surgiu esse vídeo motivacional... let your faith be bigger than your fears... deixe a sua fé ser maior que os seus medos. Dois, três dias depois já me sentia um pouco melhor do impacto daquela notícia.
Quando a situação for boa, desfrute-a... quando for ruim, transforme-a... quando não puder ser transformada... transforme-se! Viktor Frankl
Não importa a natureza de um obstáculo... o que importa é a determinação para superá-lo...
não importa a dimensão do caminho a ser percorrido... o que importa é a vontade de percorrê-lo...
não importa se a luta será solitária... o que importa é saber que a vitória depende acima de tudo da vontade de alcançá-la...
não importa se um sonho parecer utopia... o que importa é acreditar que sonhos, por mais fantásticos que possam ser, serão sempre o embrião das grandes realizações...
não importa quantas vezes será preciso recomeçar... o que importa é ter a coragem de nunca desistir... de crer que cada recomeço não representa uma derrota, mas uma oportunidade que nos é dada para superar nossas próprias limitações. 
Sorria... não importa como está o seu dia!  
Certa menininha caminhava todos os dias até a escola sozinha. 
Naquela manhã, apesar do mau tempo, do vento forte e das nuvens carregadas ela fez o percurso como de costume.
Ao longo do dia, o vento foi aumentando. Formou-se uma tempestade com muitos raios e trovões. 
A mãe preocupada decidiu ir buscá-la de carro.
Não demorou muito avistou a menina retornando para casa. 
Chamou-lhe a atenção o fato de que a cada relâmpago a criança parava, olhava para cima e sorria. 
Outro relâmpago e ela parava, olhava para cima e sorria. 
A menina notou a mãe acenando e entrou no carro.
A mãe curiosa perguntou o que ela estava fazendo.
A pequena alegre e despreocupada, respondeu... estava sorrindo... Deus não para de tirar fotos minhas! 
Se tivéssemos a visão de uma criança, diante das adversidades que enfrentamos, a nossa vida seria menos complicada e não sofreríamos tanto por antecipação.
Os pensamentos que escolhemos ter são as ferramentas que usamos para pintar o quadro de nossas vidas.
Acredite... um mau capítulo não significa que a história toda é ruim.
Agradeço a sua companhia e apoio de sempre.
Um forte abraço
Isi
Sobre a Escritora ISI GOLFETTO. Boa leitura.
Vai lá... você consegue. Acreditar nos seus sonhos é o melhor caminho para concretizá-los.
Isi Golfetto. Mini biografia profissional.
Entrevista. Revista Divulga Escritor.
Siga-me.
Bate-papo com Estilo. Inspiração & Motivação - Reposição Diária de Energia.
Equilíbrio Sentimental. Essência Feminina - Espaço Terapêutico da Mulher.  

Saber onde colocar o foco dos nossos esforços é metade do que é necessário para concretizar o sonho perseguido.

Ajuste o foco!
Isi Golfetto
Não existe um único caminho para quem está em busca da felicidade. A felicidade não é um destino, é a viagem... não é um fim em si mesmo, é a consequência do jeito de se viver... não se encontra no amanhã, é o agora... não está em uma dependência, é uma decisão.
Quantas vezes, na busca da felicidade fazemos como o vovô
que, desesperadamente, procura os seus óculos,
tendo-os na ponta do nariz! M. Quintana
Seria tão bom se a gente digitasse a frase - caminho para a felicidade e, em nossa tela aparecesse milhões de direções de como chegar lá. E se, eventualmente, nos desviássemos do roteiro ele recalcularia a rota e nos colocaria de volta nos trilhos.
Mas, como o vovô, desesperado procurando por seus óculos, assim estamos nós, buscando sempre algo mais, querendo sempre algo a mais... insatisfeitos... infelizes... tendo o que precisamos diante de nós.
O mais irônico de tudo é que aquilo que desesperadamente desejamos ontem e conseguimos, hoje já não satisfaz mais... quero outro... quero novo... quero maior... e o tempo passa... a insatisfação aumenta com as opções... e perdemos o foco do que é verdadeiramente essencial.
Se tivéssemos a consciência do quanto a nossa vida é passageira, talvez a gente pensasse um pouco mais antes de deixar de aproveitar as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Iríamos desfrutar mais da vida e nos encantaríamos mais com a simplicidade, a leveza e a beleza da natureza.
Encontraríamos tempo para apreciar as flores e perceber que há sementes que nunca brotam e há aquelas que vivem sua vida até que cada pétala se entregue ao vento.
Não sabemos por quanto tempo vamos enfeitar esse jardim, nem sabemos a duração das flores que foram plantadas ao nosso redor...
nos descuidamos de nós mesmos e daqueles que estão ao nosso lado...
nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos preciosos, dias, às vezes anos com mágoas...
nos calamos quando deveríamos falar... falamos demais quando deveríamos calar...
não damos o abraço ou o beijo que tanto pede nossa alma...
não dizemos eu te amo porque achamos que o outro, automaticamente, sabe o que sentimos...
assim, passa a noite e chega o dia, nasce o sol e adormece e continuamos fechados em nós mesmos.
Reclamamos do que não temos e cobramos demais da vida, dos outros e de nós mesmos...
nos consumimos ao comparar nossas vidas com aqueles que possuem mais. Por que não comparamos nossas vidas com aqueles que possuem menos? Isso, sim, faria diferença.
E assim o tempo passa.
Passamos pela vida sem viver... sobrevivemos porque não sabemos fazer outra coisa... até que um dia, inesperadamente, acordamos e perguntamos... e agora?
Agora... agora é tempo de reconstruir...
de dar o abraço amigo... de agradecer pela família... pelos amigos... dizer uma palavra carinhosa...
ainda há tempo de apreciar as flores do jardim... ouvir o canto dos pássaros... apreciar a leveza do voo das borboletas...
com o tempo a vida vai nos ensinando que a felicidade é o que nós somos... não o que temos.
Nunca se é velho ou jovem demais para recomeçar... não olhe o que passou... o que deixou de fazer... o que perdeu...
olhe para frente...seja grato por sua vida... alguém, em algum lugar, gostaria de ter as mesmas oportunidades que você... não as desperdice!
Felicidade é como a pluma que o vento vai levando pelo ar... voa leve... tem a vida breve... e precisa que haja vento sem parar. Vinicius de Moraes
O caminho do autoconhecimento é longo, mas é gratificante. É um caminho que pode começar agora, e não tem prazo para terminar. É o caminho que conduz aos mais belos sonhos... é o caminho da felicidade!
Há os que se queixam do vento... outros que esperam que ele mude... mas, há quem ajuste as velas!
Agradeço por me fazer companhia nessa caminhada!
Um grande e forte abraço
Isi