Os teus atos e não os teus conhecimentos é que determinam o teu valor. Johann Fichte

O que você pensa que não é?
Isi Golfetto    
Muitas pessoas subestimam o que são e colocam o foco naquilo que não são. Não é o que você é que te limita... mas, o que você pensa que não é. Esse limite é uma barreira criada pela própria mente através de crenças adquiridas, mas que podem ser desfeitas.
Nos tornamos aquilo que repetimos para nós mesmos
todos os dias. Somos o que acreditamos.
O que determina o valor de uma pessoa? Qual a importância de uma pessoa em sua família, nos seus relacionamentos, com colegas de equipe ou como um indivíduo na sociedade?
E você, o que determina o seu valor? Já notou a diferença positiva que você agrega no meio em que está inserido? Ou você é mais propenso a focar naquilo que não é e a pensar que nada tem a colaborar e que é apenas mais um em sua família, que não faz diferença alguma em sua equipe ou que é mais um número na multidão?
Segue um texto para ilustrar a importância da contribuição de cada um dentro do seu contexto.
Qual foi a l_tra qu_ faltou? Ooops!
Muito embora essa letra acreditasse que a sua ausência não seria notada, a sua falta comprometeu a clareza e a compreensão da leitura. Cada letra do alfabeto é independente e diferente uma da outra, contudo quando juntas em um texto formam um conjunto harmonioso.
Não é diferente com as pessoas. Não existem duas pessoas iguais. Cada uma tem a sua própria essência, sua individualidade, a sua maneira própria de agir. Mais do que isso, a contribuição de cada uma agrega um valor incomparável ao meio.
Mas, o que leva as pessoas a desacreditarem em si mesmas subestimando o que são, e pior, colocando o foco naquilo que pensam que não são?
Todas as pessoas são capazes de inúmeras conquistas. No entanto, um número considerável delas desencadeia pensamentos de incapacidade e de desmerecimento que as impedem de enxergar o seu valor. Pensamentos limitantes como... para que eu vou entrar na equipe se os outros são melhores? Sou um fracasso, não posso assumir essa responsabilidade.
Ao contrário do que possa parecer, questionamentos dessa natureza são feitos por pessoas talentosas e com formação acadêmica invejável. O medo rouba a sua autoconfiança e as fazem duvidar da sua capacidade impedindo-as de usarem o seu potencial.
Por outro lado, há aqueles que culpam a falta de estudos, de recursos financeiros e de oportunidades por não conquistarem o que aspiram.
Na contramão de uma grande parte dessas pessoas, há um grupo que em condições iguais ou menos privilegiadas, vai em busca de oportunidades. Superam obstáculos, lutam por seus objetivos e conquistam seus sonhos.
Por que algumas pessoas, aparentemente, conseguem tudo de maneira fácil, enquanto outras lastimam a sua sorte ou procuram culpados? Como desfazer essa barreira que as impede de acreditar que são capazes?
Recalculando a rota
Imagine que você esteja caminhando por uma estrada e de repente percebe que pegou a direção errada. Recalcular a rota é a coisa prudente a fazer. Mudar a direção é o que vai conduzir você ao destino desejado.
Seguindo o mesmo raciocínio, para se tornar a pessoa que você pode ser, é preciso identificar e eliminar o que o limita e adquirir hábitos que o fortaleçam e o levem rumo as suas conquistas.
Identificar o que o limita. Faça uma lista das oportunidades que perdeu ou das coisas que desistiu de empreender por medo, insegurança ou indecisão.
Encontrar a origem. Liste alguns comportamentos, ações ou pensamentos que o bloqueiam. Procure se lembrar em que situações costumam ocorrer.
Definir objetivos. Liste alguns comportamentos, ações ou pensamentos que deseja incorporar em sua vida. Defina os objetivos que deseja para cada um deles.
Criar crenças fortalecedoras. Troque cada frase limitante por uma frase que possa lhe dar forças para alcançar os resultados que determinar.
Criar um hábito. Repita diariamente aquele comportamento, ação ou pensamento que passou a acreditar até que ele se fortaleça e se torne um hábito.
Ao acreditar que você pode, uma infinidade de atitudes mentais e emocionais serão colocadas em ação a seu favor e irão impulsionar você na direção das suas metas e objetivos desejados.
Não se desvalorize. Muito menos se compare com outras pessoas. Da mesma maneira que as letras do alfabeto são diferentes umas das outras, cada pessoa também é única. E, é através dessa diversidade que surge um conjunto harmonioso.
Invista tempo para descobrir as coisas que você gostaria de fazer. Principalmente, acredite no seu valor e na sua capacidade de realizá-las. Quais são essas coisas?
Você vai descobrir que é muuuito melhor do que imaginava!
Nenhum obstáculo será grande o suficiente se a vontade de vencer for maior.
Até a próxima.
Um grande e forte abraço
Isi

2 comentários:

  1. Um texto muito motivacional, realmente agora que parei para pensar, quantas vezes nos sentimos sem valor, imuteis ...? Mas acho que o que nos faz duvidar de nós mesmos é a comparação com outras pessoas.

    prioridadesfemininas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!