Aquele que sabe falar sabe também quando fazê-lo. Arquimedes

O silêncio é de ouro, mesmo? 
Isi Golfetto
Não vivemos em um conto de fadas, portanto, o relacionamento entre casais nem sempre é um mar de almirante, nem céu de brigadeiro.
A vida é um eco. Se você não está gostando
do que está recebendo, observe o que está emitindo.
Crises acontecem. E um problema mal resolvido pode ocasionar um silêncio entre o casal. E quase sempre esse silêncio é sinônimo de solidão e de dor.
Então a pergunta que não quer calar: O silêncio é de ouro, mesmo?
O silêncio de ouro é aquele que joga fora expressões sonoras desnecessárias... o silêncio de ouro é aquele que traz paz, que se transmite com o olhar acolhedor, com o sorriso meigo, com gestos delicados, com um beijo apaixonado.
Nesse silêncio de ouro as palavras não se encaixam. Segundo Jacques Prévert há momentos na vida em que se deveria calar e deixar que o silêncio falasse ao coração, pois há emoções que as palavras não sabem traduzir!
O silêncio é uma arte. Ela exige certo domínio e requintes de um domador de feras. Difícil para quem está habituado a impor suas próprias vontades e falar suas verdades doa a quem doer.
Portanto, há uma grande diferença entre o silêncio que acalma daquele silêncio que ensurdece, que grita, que aflige. Sem dúvida um silêncio que maltrata não pode ser de ouro.
silêncio imposto é a forma mais cruel de poder e de tortura sobre o outro. A pessoa punida se questiona... foi algo que eu fiz ou que eu não fiz? Foi algo que eu disse ou deixei de dizer?
Além de refém dessas dúvidas, o silêncio imposto deixa sua vítima com a sensação e o temor de que junto com a interrupção da comunicação tenha se retirado o afeto do parceiro. Alfred Vigny escreveu... podemos eliminar os clamores, mas não temos como nos vingar do silêncio.
Quem silencia ao diálogo não tem nem de longe a ideia do mal que está causando ao outro.
Achou que não tinha como piorar essa agonia? Engano seu.
O silêncio vem acompanhado da indiferença. A indiferença não se limita apenas aos telefonemas que não são retornados, a ausência de respostas às mensagens enviadas ou de um encontro onde os dois mal se olham e se falam. A indiferença vai além. É um ato de frieza e de desprezo pelo outro. David Saleeby falou... não há maior solidão que aquela que se dá não pela ausência da pessoa, mas pela indiferença da sua presença.
Como podemos transformar esse silêncio punitivo em um silêncio que acalme o coração?
Cada um de nós tem uma nova oportunidade a cada dia de se tornar uma pessoa melhor. Saber silenciar pode ser aprendido sim. Aprender a silenciar o pensamento cruel de punir o outro com a sua atitude. Aprender a silenciar o julgamento que faz do outro sobre fatos que não sabe e que não viu. Aprender a silenciar as ofensas. Aprender a respeitar o outro.
Quando olharmos para a pessoa que amamos com generosidade, gentileza, empatia vamos perceber que temos como preencher o espaço que separa uma alma da outra, não com o silencio que atormenta, mas com um silêncio que acolhe, abraça, acaricia.
Não espere ver mudanças se não começar por você.
Então, vá lá... você nunca sabe que resultados virão das suas ações, mas se não fizer nada não existirão resultados. Gandhi
Uma semana de mudanças a todos nós.
Foi muito bom ter você ao meu lado até aqui.
Abraços
Isi
Outros textos sobre COMUNICAÇÃO. Boa leitura.
O mesmo, só que não... Qual o impacto da sua fala na vida do outro?
Seria cômico... se não fosse trágico. A dificuldade de ouvir o que o outro fala.
A habilidade de ouvir o outro. Hábitos relevantes para ser um bom ouvinte.
Você é um bom ouvinte? Autoavaliação.
Pessoas difíceis ou comunicação inadequada? Principais pecados na comunicação.
Comunicação ou competição? Como desenvolver um relacionamento mais harmônico com uma comunicação assertiva 
Siga-me.
Bate-papo com Estilo. Inspiração & Motivação - Reposição Diária de Energia.
Equilíbrio Sentimental. Essência Feminina - Espaço Terapêutico da Mulher. 

A vida é como um livro, você não pode mudar as páginas que já foram escritas mas pode começar um novo capítulo.

Conto de Fadas ou Conto de Falhas?
Isi Golfetto
Resistir à paixão não é fácil. Quem nunca sentiu o ar faltar, o coração disparar, um frio no estômago cada vez que pensa ou vê aquela pessoa que provoca esse encantamento que entorpece. Um sentimento avassalador que chega sem avisar... mas, que dá sinais quando algo começa a mudar.
Se você é o autor da sua história,
você pode escrever como será o final.
Atração, paixão, fascínio, amor... toda essa mágica energia que envolve esses sentimentos tão arrebatadores e passionais nos leva a pensar em histórias românticas, alegres, vibrantes, cheias de vida. 
Algumas frases descrevem esse encantamento. Vamos completá-las?
E foram _______ para _______.
Até que a ______ os ________.
Hmm! Será que você também pensou o mesmo que eu? Não estamos mais na época dos contos de fadas nem romanceando uma ficção!
Então vamos refletir um pouco: Que palavras você usou para completar a primeira frase? Se utilizou felizes e sempre a impressão que se tem é que elas estão cada vez mais distantes do contexto dos romances atuais. Sempre virou sinônimo de muuuito tempo e esse tempo ficou adormecido no vocabulário dos contos de fadas. Em geral, o que define a duração dos romances hoje em dia é o fast. Estamos na era do fast tudo. Felizes, então... essa palavra no contexto de um relacionamento daria para escrever um outro texto.
Seguindo a lógica da era do fast tudo com que palavras você completou a segunda frase... morte e separe? Você acertou. Mas, se não há tempo sobrando para cuidar desses sentimentos eles, realmente, vão morrer aos poucos, sobreviver por um tempo aos trancos e barrancos até o golpe de misericórdia! Faz sentido?
Veja como os efeitos tóxicos do antagonista fast vão atuar no roteiro da nossa história da vida real... a atração cede espaço ao distanciamento, a paixão aos poucos começa a ser adormecida pela inércia, já a decepção será o veneno letal contra o fascínio e, por fim o amor... ahh! o amor...  esse vai morrer à míngua nas mãos da indiferença.
Parece pouco para exterminar a nossa grande história de amor? Então junte a esses vilões implacáveis doses diárias de insensibilidade, discordância, hostilidade e acrescente a tudo isso falta de tempo... falta de atenção... falta de carinho.
Estou enganada ou é assim que se transformam contos de fadas em contos de falhas?
Para finalizar qual seria um título apropriado para a nossa história? Talvez a frase mais patética que já se ouviu: Foi bom enquanto durou.
Como deu para perceber sentimentos tão fortes como a atração, a paixão, o fascínio e o amor não acabam morrendo de morte natural. Eles foram intoxicados aos poucos através da indiferença, da conversa surda, do olhar distante, do beijo frio, do desinteresse. E, não tenha dúvidas... a atração, a paixão, o fascínio e o amor deram sinais de alertas suficientes de que algo não estava indo bem.
Concordo que a vida real é diferente da ficção. Mas viver um conto de falhas, cometendo os mesmos erros das experiências anteriores também não deveria ser a regra. A única coisa possível é continuar apontando o lápis para continuar a escrever a sua história da melhor maneira que puder.
Como escrever um novo capítulo em que a atração dure, a paixão queime, a magia do fascínio perdure e a dedicação para cultivar esse amor se fortaleça?
Na vida há duas escolhas primordiais: aceitar as condições como elas se apresentam ou aceitar a responsabilidade de mudá-las. Tentar mudar não é garantia de que você vai obter sucesso... mas, se nada fizer nunca saberá que resultados virão das suas ações.
Conhecimentos adquiridos quando colocados em prática podem fazer a diferença em sua história.
Comece por se conhecer e se amar. A vida é um espelho. Ela devolve o que você projeta nela. Para confiarmos a nossa vida a outra pessoa devemos ter consciência do que fizemos e do que estamos fazendo com a nossa própria vida.
Atitudes nutrem mais que palavras. Não basta ter o conhecimento. É preciso agir. Cultivar e cuidar do amor com ações. O amor não nasce adulto. Ele cresce através de pequenas atitudes diárias.
Ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa. Mas, não permita que expectativas coloquem um ponto final em sua história. Pessoas perfeitas não bebem, não mentem, não brigam, não discutem, não erram e não existem. Quem ama você conhece os seus defeitos, só não os coloca acima do que sente por você. 
Momentos bons e ruins fazem parte da vida. No rain... no rainbow. Para ver o arco-íris é preciso passar pela tempestade. Crie momentos inesquecíveis, faça coisas inexplicáveis e fique perto de alguém que sabe ser sol, mesmo em dias nublados.
Cada dia é uma chance que recebemos para melhorar. Para isso, é essencial se desintoxicar do vício do fast. É preciso criar um novo hábito - o desejo de estar junto, porque não existe falta de tempo, o que existe é falta de interesse. Quando a gente quer madrugada vira dia, quarta-feira vira sábado, intervalo vira oportunidade.
Um final feliz em sua história vai depender de onde você interrompê-la.
Foi muito agradável estar em sua companhia.
Um grande e especial abraço
Isi
Outros textos sobre CASAIS. Boa leitura.
Um dia para recomeçar. Renovando a esperança no amor.
Decepção tem remédio? Como reagir diante da decepção.
De que adianta... Princípios para solucionar problemas sob a perspectiva correta.
O silêncio é de ouro, mesmo? Como transformar um silêncio punitivo em silêncio que acalme o coração.
Que tristeza... né? Como se reinventar depois de perder um grande amor.
Dando a volta por cima. Princípios que podem ajudar você a se reencontrar.
Siga-me.
Bate-papo com Estilo. Inspiração & Motivação - Reposição Diária de Energia.
Equilíbrio Sentimental. Essência Feminina - Espaço Terapêutico da Mulher.