Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito. William Shakespeare

Decepção tem remédio?
Isi Golfetto
Será que são as pessoas que nos decepcionam ou somos nós mesmos que nos decepcionamos quando esperamos encontrar nas pessoas o que idealizamos ou a imagem que criamos delas?
Decepções são proporcionais ao grau das nossas expectativas.
Por que nos decepcionamos? Você se lembra da última vez que algo não saiu como esperado? Como você reagiu? Quais os sentimentos produzidos? Desapontamentos, frustração, amargura, desesperança?
A decepção vem de expectativas que nós mesmos criamos e, quando não correspondem aos nossos desejos parece que o mundo vai desabar sobre a nossa cabeça.
O pior é que, antes mesmo de recuperarmos o nosso equilíbrio emocional abalado pela decepção, julgamos as pessoas envolvidas, tomamos decisões precipitadas, abandonamos compromissos firmados colocando em risco nossos relacionamentos, nossa carreira profissional e potencializando ainda mais a intensidade dos nossos sentimentos já fragilizados.
Mas, será que é justo para o outro, como para nós mesmos, agirmos impulsivamente enquanto ainda estamos vulneráveis? Será que vale a pena tanto desgaste? 
Seria tão mais fácil se entendêssemos que nada e nem ninguém está sob o nosso controle! A única coisa que está ao nosso alcance é o que escolhemos fazer a respeito. 
Nossas limitações e nossos sucessos são baseados nas expectativas que criamos para nós mesmos. No que a mente foca, o corpo atua. Denis Waitley
Quando as coisas não saem do jeito que a gente espera parece o fim do mundo. Mas há algumas coisas que podem ser feitas para aprendermos a lidar com a situação.
1. Respirar fundo. Diante de situações fora do seu controle é melhor dar um tempo. Dê uma pausa para se acalmar e não tome decisões no calor da discussão. Nem sempre o que acontece no momento vai refletir a realidade. Amanhã a situação pode não parecer tão ruim como hoje.
2. Agir com coerência. Procure agir como gostaria de ser tratado. Fale em tom natural e de maneira a não magoar o outro e a si mesmo. Não havendo clima para prosseguir o diálogo, peça para se retirar e recobrar o equilíbrio emocional. Busque a excelência nas suas atitudes e no seu comportamento.
3. Buscar a solução. Remoer e acumular ressentimentos apenas nos distancia da solução. Aceite cada dificuldade como uma oportunidade de aprendizado, de crescimento, de amadurecimento e de superação. Dificuldades são passageiras, mas as lições aprendidas permanecem.
4. Não procurar a perfeição. Nada atrapalha mais a nossa realidade do que a imagem que criamos e a expectativa que alimentamos de como o outro deveria ser. Ninguém é perfeito. Precisamos aprender a enxergar a beleza através do imperfeito e agradecer pelos momentos perfeitos que temos.
Exija muito de si e espera pouco do outro. Assim você vai evitar muitos aborrecimentos. Confúcio
Não há decepção maior do que apostar suas fixas em pessoas ou no que quer que seja. Aposte em você, em sua autoestima, em suas competências.
Seja melhor hoje do que você foi ontem.
Até a próxima.
Um grande abraço  
Isi

Um comentário:

  1. Profundo esse post!! É verdade, a frustração vem da nossa própria idealização sobre alguém ou algo, que nunca será perfeito como desejamos... É isso aí.

    Beijos;

    Ana

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!