Somos o que fazemos repetidamente. Por isso, o mérito não está na ação e sim no hábito. Aristóteles

Concentre-se nas coisas boas 
Isi Golfetto

Criamos a nossa realidade através de hábitos presentes em nossa rotina e muitas vezes nem nos damos conta. Os hábitos que cultivamos fazem parte da construção da nossa vida e podem influenciá-la de maneira positiva ou não. Hábitos podem ser modificados para elevar o crescimento pessoal e aprimorar os valores e estilo de vida.

Se você não gosta de alguma coisa, mude-a. 
Se não pode mudá-la... pare de reclamar!

O vício de se incomodar 

O hábito é uma sequência de ações que aprendemos e repetimos sem precisar pensar para realizá-lo. Ele é composto por nossos costumes, nossa maneira de viver, comportar e agir. 

Com o passar do tempo adquirimos alguns comportamentos indesejados e algumas formas inadequadas de pensar. 

Para mudar esses maus hábitos é preciso ter consciência e querer eliminá-los para poder viver uma vida com qualidade. 

Um hábito negativo e pouco elegante é o de reclamar

Reclamar é falar, enfatizar ou ressaltar as coisas negativas de alguém ou de uma situação. Em geral, são fatos que não coincidem com o ponto de vista de quem reclama. 

O vício de reclamar ocupa a mente de quem reclama com coisas negativas e desgasta a própria energia com coisas pequenas. Quem tem esse vício, além de nada fazer de produtivo para mudar a situação que o incomoda, desperdiça o tempo do outro.

Certo casal se mudou para um bairro novo e bem tranquilo. 

Na primeira manhã, enquanto tomavam o café, a mulher reparou através da janela a vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido... como os lençóis que ela está pendurando estão sujos! Ela precisa usar um sabão de melhor qualidade! Se eu a conhecesse há mais tempo perguntaria se ela quer que eu a ensine como lavar roupas. 

O marido observou calado. 

Uns dias depois, durante o café da manhã, lá estava a vizinha pendurando os lençóis e a mulher voltou a comentar com o marido... nossa vizinha continua deixando os lençóis sujos! Se eu a conhecesse melhor perguntaria se ela quer que a ensine como lavar roupas. 

E assim, sempre que a vizinha pendurava as roupas no varal a mulher repetia o seu discurso. 

Passado um tempo a mulher se surpreendeu ao ver, pela primeira vez, os lençóis da vizinha limpos. Admirada comentou com o marido... olha... ela aprendeu como lavar roupas. Eu não fiz anda... será que a outra vizinha a ensinou? 

Apontando para a janela o marido respondeu... não foi a vizinha. Eu que levantei mais cedo e limpei os vidros da nossa janela! 

Antes de criticar o que quer que seja, verifique antes se fez alguma coisa para mudar a situação. Mas, primeiro procure se conscientizar dos seus próprios defeitos e limitações! 

Não crie o hábito de apontar as falhas de outras pessoas. Você não é perfeito. Olhe no espelho antes de olhar pela janela. 

Concentre-se nas coisas boas 

Para alterar essa rota de hábitos negativos para um caminho mais positivo e dessa forma beneficiar os seus relacionamentos, Will Bowen, autor do livro Pare de reclamar e concentre-se nas coisas boas, apresenta um método simples e eficaz para facilitar o monitoramento no processo de eliminar o vício de reclamar.

Escolha um objeto e mude-o de posição toda vez que fizer uma crítica, uma fofoca ou uma reclamação.

Por exemplo... troque uma pulseira ou relógio de um braço para o outro, ou um anel de um dedo para o outro, ou ainda mexa uma moeda ou pedrinha no bolso. 

O ato de parar de falar e mover um objeto, faz com que você fique consciente do seu comportamento e dá a oportunidade de mudar o pensamento. 

Repita este procedimento por 21 dias consecutivos. Estudos e estatísticas apontam que esse número de dias pode variar conforme a pessoa levando em média até 66 dias para iniciar um novo hábito. 

Contudo, não desanime. Concentre-se nas coisas boas. À medida que for se educando a não verbalizar uma reclamação, você notará também que vai desaparecer a reclamação em pensamento. 

Quantas vezes você ouviu uma reclamação hoje? Quais foram os motivos? 

E você, reclama muito? Quais os ambientes em que você  fica mais vulnerável a reclamar? Por quê? 

Com quais pessoas  você tem o hábito de reclamar? Por quê? 

Qual o período do dia em que você mais reclama? Por quê? 

Não deixe que a beleza da vida seja embaçada pelo vício de reclamar. Crie o hábito de se concentrar nas coisas boas que existem em cada pessoa, em cada situação... mesmo que em alguns dias isso signifique procurar um pouco mais! 

Agradeço a sua companhia agradável. 
Forte abraço 
Isi 

Textos sobre AUTOCONHECIMENTO. Click no link e Boa leitura. 

Quem realmente quer...  O corpo alcança o que a mente acredita. 

Seja melhor que sua melhor desculpa.  Desculpas, o hábito de enganar a si mesmo. 

Faça o que é certo... não o que é fácil.  Saber o que é certo é uma questão de valor pessoal. 

Vamos evoluir.  Refletimos o nosso eu.. 

Se a vida não ficar mais fácil... trate de ficar mais forte.  Se você quer mudança, seja a mudança.

Me acompanhe nas Páginas do Facebook 

Bate-papo com Estilo Frases. Mensagens que Inspiram 

Equilibrio Sentimental. Essência Feminina

6 comentários:

  1. Pôxa, que interessante esse exercícios. Vou tentar fazer sempre que eu reclamar de alguma coisa! Dizem que levamos 21 dias para nos acostumar com um novo hábito, certo?

    Parabéns pelo texto, está fantástico!! E obrigada pelas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As estatísticas a respeito do tempo que uma pessoa leva para mudar um hábito varia, da mesma maneira que varia a determinação, a força de vontade e persistência de cada indivíduo. O importante é ficar alerta e sempre que a luzinha vermelha da reclamação ou outro mau hábito acender... fazer alguma coisa para mudar. Você vai conseguir!!!

      Excluir
  2. Thats true, mto bom texto. Estou aqui pensando no objeto que vou usar... Thanks teacher Isi!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito pois az vezes me pego reclamando e a vida tem sido tao boa comigo que as vezes faço sem motivo e sem pensar obrigada pela dica vou fazer isso . Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudar é bom. Nunca é cedo demais para abandonar o que nos limita.

      Excluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!