As lições mais difíceis de aprender, muitas vezes, são as que você mais precisa para fortalecê-lo. Isi Golfetto

Quem disse que a tarefa era sobre a pedra?

Isi Golfetto


Eu tenho a opção de ficar com raiva de Deus e do mundo pelas perdas que não consigo assimilar e pelos momentos difíceis de superar ou posso mudar o meu coração, aceitar a dor, crescer através dela e ser grato pelas valiosas lições escondidas nelas.

Gratidão não se limita apenas aos momentos 
bons... há sempre um propósito em cada situação!

O propósito escondido

Conta-se que há muito tempo, em uma aldeia cercada de montanhas, havia a tradição de dar a cada discípulo uma atividade em que ele seria o responsável. Era uma missão pessoal e intransferível.

Assim, o mestre convidou um de seus discípulos para assumir a sua função. Caminharam até a base de uma das montanhas e o mestre disse...

Está vendo esta pedra... sua função será levá-la até o alto da montanha. Lá há um ponto demarcado para você deixar a pedra.

O discípulo, então, transportou a pedra até o local determinado. A pedra era muito pesada. A cada trecho do percurso o discípulo precisava mudar a sua estratégia para poder avançar e, sempre que necessário, parava para descansar. No final daquele dia concluiu a sua tarefa.

No dia seguinte, o discípulo foi verificar a tarefa realizada no dia anterior. Para sua surpresa a pedra havia rolado durante a noite e parado exatamente no ponto de partida. O discípulo, então, levou novamente a pedra até o topo da montanha e a deixou no ponto demarcado.

Na manhã seguinte, a pedra havia rolado outra vez e parado no local do dia anterior.

E assim se passou um ano. Todas as manhãs o discípulo levava a pedra ao ponto exato no alto da montanha e todas as noites a pedra rolava montanha abaixo e parava no mesmo ponto.

Certo dia, quando o discípulo iniciava o seu trabalho, um conhecido que passava pelo local indagou por que ele repetia aquela tarefa todos os dias. E continuou... há um ano eu passo aqui todas as manhãs e vejo você empurrando esta pedra para o topo da montanha. Quando retorno no fim do dia essa pedra está de volta nesse mesmo lugar. Você não vê que todo o seu esforço é inútil? Que resultado você está obtendo com esse trabalho?

O discípulo intrigado com tal observação decidiu procurar o mestre.

O mestre ficou feliz em rever o discípulo depois de tanto tempo.

O discípulo, então, falou para o mestre que há um ano estava realizando uma função improdutiva. Explicou que todas as manhãs, durante o ano, ele havia seguido a instrução de transportar a pedra ao local demarcado no topo da montanha e todas as noites a pedra rolava montanha abaixo até o ponto de partida. E, finalizou mencionando que todo o seu esforço era inútil porque não estava produzindo nenhum resultado.

O mestre, então, levou o discípulo diante de um espelho. 

O discípulo olhando a sua imagem se admirou. Ele não havia percebido que no decorrer daquele ano seu físico havia se desenvolvido e ele havia se tornado um homem com traços de guerreiro.

O mestre, olhando para o discípulo, concluiu... quem foi que disse que esse trabalho era sobre a pedra? 

E assim, passamos mais um ano. Alguns empurrando pedras morro acima, muitas vezes sofrendo com as situações difíceis que surgiram, outras vezes reclamando sem se dar conta de que elas estavam ali com o propósito de ensinar uma lição para você poder crescer e se desenvolver.

Gratidão, a melhor atitude

Todos os anos escolho uma palavra para inspirar a minha vida e em 2019 a palavra foi GRATIDÃO.

Animada com a ideia, como relatei no texto Não imponha condições para ser grato, decidi compartilhei a ideia com a minha família, preparando um pote da gratidão para cada uma delas, com o objetivo que registrassem os bons momentos e, aqueles que não fizessem muito sentido.

Como há muitos anos, a tradição da família é passar a noite de Natal na casa da minha mãe. Então, a minha irmã comentou... Isi, e se nós pedissemos para o pessoal relatar sobre uma experiência do potinho de gratidão que tiveram durante o ano, antes do jantar?

Wow... pensei... vamos lá!!!

Assim, minha mãe, irmãos, cunhados, sobrinhos e esposas ao redor daquela bela mesa começaram a compartilhar como havia sido a experiência de cada um. Dentre todos, quero compartilhar 5 depoimentos que mais emocionaram a nossa noite.

Sobrinha, 30 anos, casada com o meu sobrinho. Perdeu o pai com câncer no início de junho. Ao começar a narrar a sua experiência desabou em lágrimas. Contou que foi impossível olhar para aquele pote da gratidão. Escrever sobre ser grata não fazia sentido algum para ela. Pensou em quebrar o pote, mas o guardou em uma gaveta para não olhar para ele. O problema não cessou aí... cada vez que abria a gaveta lá estava o pote. Então, ela decidiu esconder o pote em meio a algumas peças de roupas. E concluiu... desculpe, Isi... a dor da perda do meu pai foi e está insuportável... não consigo encontrar forças para ser grata.

Cunhada, 45 anos. Desabou em lágrimas ao comentar como estava difícil a experiência de ser mãe de duas meninas adolescentes. Mencionou que estava atravessando um período complicado com uma delas e precisava encontrar forças para saber lidar com a situação e ainda conseguir ser grata. A filha que a tudo ouvia, assim que a mãe terminou de falar, disse... EU TE AMO, MÃE!

Sogra do meu irmão, 68 anos. Sofre com uma doença há mais de 15 anos em virtude de ter trabalhado em uma empresa de Pesquisa Nuclear e ter sido exposta a radiação. Há uns 5 anos esse problema vem se agravando. Ela tem muitas dores e a cada semana precisa tomar uma injeção. Seu depoimento? Simplesmente mágico! Ela disse... a cada dia a dor é mais forte, mas eu termino o dia vencedora... sou mais forte que a dor! 

Sobrinha, 14 anos (faz 15 anos em janeiro). Uma menina muito tímida, mas que diante do exemplo das tias que abriram o seu coração, encontrou forças e coragem para abrir o seu pequeno/grande coração e revelar os seus sentimentos mais profundos. Mencionou a sua tristeza de não conseguir ter um grupo de amigas porque a família vive mudando de cidade. Há pouco mais de 8 meses mudaram novamente. Tentou fazer amizade com um grupo de meninas no colégio e sentiu que não foi bem aceita. Então, tentou se encaixar no grupo dos esquisitos e também não deu certo. Sentindo-se deslocada e triste descontava a sua mágoa brigando com o irmão. Para tentar animar-se um pouco começou a se envolver nos preparativos para a sua festa de 15. Para sua tristeza descobriu que não iria conseguir formar os 15 casais de amigos como pede o cerimonial, nem conseguiria ter as15 amigas! Foi então, que decidiu encontrar meios para se aproximar de algumas meninas da escola e já tem 13 delas confirmadas para fazerem parte do cerimonial da sua festa.

Sobrinha, 38 anos, casada com o meu sobrinho. Disse que não usaram muito o pote da gratidão para colocar as experiências vivenciadas por escrito. Mas, contou que, quando mudaram para a nova casa, com um quintal grande, os filhos começaram a pedir um cachorro. Assim, motivados a reservar parte do dinheiro que ganhavam para comprar o cãozinho da raça labrador, decidiram colocar o dinheiro dentro do pote da gratidão. Passado um tempo contaram o dinheiro mas o total não era suficiente para comprar o cão daquela raça. Mesmo assim decidiram visitar o Pet Shop. Ao chegarem a minha sobrinha contou para a dona da loja que os filhos estavam juntando o dinheiro para comprarem um labrador e estavam colocando no pote da gratidão. A dona do Pet Shop quis saber o que era o pote da gratidão. Quer saber o final emocionante dessa história? Os meus sobrinhos acabaram tendo o labrador que tanto queriam pelo valor que eles conseguiram ajuntar, em troca do pote da gratidão! A dona do Pet Shop ficou tão encantada com o ensinamento em ter um coração grato apesar da situação que ela queria repassar esse conhecimento a quem ela pudesse.

E você? Está em um período em que a vida parece injusta não importa o quanto você tente fazer diferente?

Quando estiver difícil de encontrar uma razão para ser grato, lembre-se de abrir o seu coração para as mudanças, lembre-se de que a dor não dura para sempe, procure se concentrar naquilo que a vida já te deu de bom, e principalmente, lembre-se... desistir jamais!

Cada pedra que você encontrar em seu caminho vai ter um propósito. O resultado vai depender das decisões que tomar diante de cada desafio e obstáculo que enfrentar.

Fazendo uma analogia com a nossa metáfora é possível falar como o mestre... quem foi que disse que essa tarefa era sobre o potinho? 

Agradeço a sua companhia em mais um ano. Aguardo você para mais uma jornada no ano que vai se iniciar... agora com o tema CELEBRAR!

Não importa onde você está na vida... COMEMORE! Seja esse lugar o resultado daquilo que você plantou ou um lugar que vai ajudar você a crescer! 

Um brinde ao hoje! 
Isi

Textos sobre GRATIDÃO. Click no link e Boa leitura. 

Pequenas vitórias... Grandes conquistas...  Um dia para agradecer e celebrar com você! 

Razões para ser grato. Gratidão, um estilo de vida.

Gratidão. 52 frases sobre ser grato quando nada fizer sentido. (Ilustrado e em PDF). 

Me acompanhe nas Páginas do Facebook

Bate-papo com Estilo Frases. Mensagens que Inspiram 

Equilibrio Sentimental. Essência Feminina

3 comentários:

  1. Olá, Isi!
    Paz e bem!

    Li com atenção o texto " O mestre, o discípulo e a pedra", como também as histórias de sua família sobre o pote de gratidão. Sem dúvida nenhuma, a gratidão é um dos sentimentos mais importantes e significativos que podemos cultivar e transformar em gesto. Pra mim, a melhor forma de praticarmos o perdão, é buscar nas relações o que foi e há de positivo e agradecer, ao invés de focarmos nas mágoas e ressentimentos.
    Quanto ao texto sobre a pedra, achei muito interessante a sua interpretação,pelo seu aspecto motivacional. Mas, gostaria de compartilhar, uma outra forma de interpretar a mesma história e que penso que possa ser útil para muitas pessoas também: O mestre pede ao discípulo que leve a mesma até o ponto marcado no alto da montanha e isso o discípulo cumpriu na primeira viagem até o alto da montanha. É certo que, no desejo de "manter" a pedra no alto da montanha, o discípulo repetiu várias vezes a ação que havia se comprometido, mas em todas ele também repetiu e cumpriu com a sua "obrigação". Precisamos ficar atentos quando um fato (muitas vezes não tão agradável) se torna repetitivo em nossas vidas, por não percebemos que já cumprimos com a nossa missão.
    Podemos insistir e persistir nas pedras que rolam em nossa direção? Sim, podemos! Mas, uma vez concluído com o trabalho que nos comprometemos e nos cabe fazer, será nossa escolha continuar, ou não, tentar manter a pedra no alto da montanha, mesmo que ela insista em voltar para o ponto de partida ao invés de avançar e ocupar um seu lugar mais perto do sol.
    Muito obrigado pela oportunidade e que a Vida proporcione sem medida a você e toda sua família o que a de melhor, neste ano que se inicia e em todos os outros que virão.

    Muito obrigado! Muito obrigado! Muito obrigado!

    Jótah
    www.jotahilustrador.com.br
    Facebook: Jotah iulustrador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jotah Ilustrador

      Agradeço por suas colocações. Sem dúvida irão contribuir para ampliar a reflexão dos nossos leitores sobre os obstáculos que cada um enfrenta tanto na vida pessoal, como profissional e também afetiva.

      Que possamos manter sempre o coração grato pelo que a vida nos proporciona... e que sejam sempre lições para o nosso crescimento.

      Agradeço e retribuo os votos de um ano repleto de conquistas e comemorações a Você e as pessoas a quem lhe são caras...

      Forte abraço
      Isi

      Excluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!