Você bloqueia seu sonho quando permite que seu medo fique maior do que a sua fé. Mary M Morrisey

Let your faith be bigger than your fears!
Isi Golfetto
Quando aprendemos a aceitar a adversidade como uma parte natural da vida, a gente começa a trabalhar com os nossos pensamentos diante dos desafios que surgem e nos preparamos para lidar com a situação.
Nada em nossa vida acontece por acaso...
mas ela é perfeita naquilo que tiver que ser.
Quantos são os medos que armazenamos em nosso coração? Quais são os fatores que limitam a nossa positividade? O que tem o poder de paralisar ou bloquear nossos sonhos ou planos? Como podemos encontrar uma perspectiva positiva diante dos desafios?
Vou contar um fato que paralisou a minha autoconfiança por algum tempo e me deixou no chão... e como consegui superar aqueles momentos tão sem lógica e tão sem propósito em minha vida.
No início de julho de 2011, voltei ao meu ginecologista com os resultados dos exames do check up anual. Depois de alguns minutos “eternos” lendo o laudo da mamografia, o médico me disse com toda a calma e firmeza... foi encontrado uma pequena alteração na mama esquerda... a que ele chamou de “Microcalcificação Agrupada”... e que seria necessário a realização de uma cirurgia.
Só me lembro de ter perguntado... como?
De repente comecei a explicar para ele (meu ginecologista há mais de 8 anos...) que eu sempre fazia o check up anual... que eu sempre tive o cuidado de apalpar as mamas como medida preventiva e nunca senti um caroço... que não havia casos de câncer de mama na minha família...
A sensação que eu tinha era de que os meus “argumentos” pudessem convencer o médico de que o diagnóstico estivesse errado.
O médico continuou explicando que o diagnóstico era de um carcinoma... Carcinoma Ductal in Situ... do tipo curável... que não seria necessário retirar a mama pois a célula alterada permanecia dentro do ducto, sendo que seria retirado apenas a lesão.
Como mencionei... aquilo que ele falava não fazia sentido nenhum para mim... e comecei a delirar de vez... achei que seria mais uma na estatística de mulheres que morrem de câncer de mama... não conseguia entender a razão daquela situação. 
Precisei de uma força descomunal para voltar a minha atenção às informações do médico que falava e escrevia naquelas guias médicas os exames específicos e preparatórios para a cirurgia...
Lembro-me de ter suspirado fundo... procurado me acalmar. Pedi licença para sair e tomar água... precisava de um pouco de ar... recarregar minhas energias. Sem exagero... parecia o fim do mundo... vi que não tinha nada mais a fazer. 
De repente comecei a pensar nos textos motivacionais que eu escrevia. Eram tão claros e simples... mas, no momento que mais precisava, entrei em pânico! Como eu podia beneficiar os meus leitores se eu mesma não estava contornando aquela situação?
Cada um de nós tem um tempo, uma maneira de se acalmar, de se recompor. Eu preciso compreender a situação em que me encontro.
Ao retornar para casa pesquisei muito sobre o diagnóstico que recebi. Também fiz pesquisas sobre como superar o impacto de uma notícia inesperada e surgiu esse vídeo motivacional...  let your faith be bigger than your fears... ‘deixe a sua fé ser maior que seus medos’. Dois, três dias depois já me sentia um pouco melhor do impacto daquela notícia.
Quando a situação for boa, desfrute-a... quando for ruim, transforme-a... quando não puder ser transformada... transforme-se! Viktor Frankl
Não importa a natureza de um obstáculo... o que importa é a determinação para superá-lo.
Não importa a dimensão do caminho a ser percorrido... o que importa é a vontade de percorrê-lo.
Não importa se a luta será solitária... o que importa é saber que a vitória depende acima de tudo da vontade de alcançá-la.
Não importa se um sonho parece utopia... o que importa é acreditar que sonhos, por mais fantásticos que possam ser, serão sempre o embrião das grandes realizações.
Não importa quantas vezes será preciso recomeçar... o que importa é ter a coragem de nunca desistir... de crer que cada recomeço não representa uma derrota, mas uma oportunidade que nos é dada para superar nossas próprias limitações. 
Um mau capítulo não significa que a história toda é ruim. 
Certa menininha caminhava todos os dias até a sua escola sozinha. 
Naquela manhã, apesar do mau tempo, do vento forte e das nuvens carregadas ela fez o percurso como de costume.
Ao longo do dia, o vento foi aumentando. Formou-se uma tempestade com muitos raios e trovões. 
A mãe preocupada decidiu ir buscá-la de carro.
Não demorou muito avistou a menina retornando para casa. 
Chamou-lhe a atenção o fato de que, a cada relâmpago a criança parava, olhava para cima e sorria. 
Outro relâmpago e ela parava, olhava para cima e sorria. 
A menina, vendo a mãe acenar, entrou no carro.
A mãe curiosa perguntou o que ela estava fazendo.
A pequena alegre e despreocupada, respondeu: ‘estava sorrindo’... Deus não para de tirar fotos minhas! 
Se tivéssemos a visão de uma criança, diante das adversidades que enfrentamos, a nossa vida seria menos complicada e não sofreríamos tanto por antecipação.
Os pensamentos que escolhemos ter são as ferramentas que usamos para pintar o quadro de nossas vidas.
Agradeço a sua companhia e apoio de sempre.
Um forte abraço
Isi

Um comentário:

  1. uma boa recuperaçao para voce e que Deus te acompanhe hoje e sempre beijo.

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!