Firmeza de propósito é uma das forças do caráter... e um dos melhores instrumentos para o sucesso. Sem ele, gênios desperdiçam seus esforços em uma confusão de inconsistências. Lord Chesterfield

Obstáculos desafiam ou desmotivam você?
Isi Golfetto 

Sempre que nos retraimos diante de uma adversidade, um alerta aponta que os créditos em relação à nossa autoconfiança estão baixos. Indica que estamos limitados em alguma área. Limitações geram insegurança que nos impedem de realizar aquilo que nos propusemos. 

Não é porque as coisas são difíceis
que não ousamos. Ao contrário, elas se tornam
difíceis exatamente porque não arriscamos.

Os obstáculos não podem parar você

Vamos concordar... ninguém é 100% confiante, 100% do tempo, em 100% das situações.

Mas, você já reparou como o rumo que damos a nossa vida faz mais sentido quando agregamos a ela firmeza de propósito, perseverança e força de vontade? E, notou como a falta desses atributos nos tiram o chão e tudo parece desmoronar diante de um desafio que acreditamos ser intransponível?

Uma pessoa com firmeza de propósito vai em busca de seus objetivos independente do quão difícil seja a batalha. Ela tem ousadia, determinação, persistência, força de vontade.

Obstáculos tendem a nos desafiar ou nos desmotivar. Contudo, se você tem um porquê vai enfrentar qualquer como porque sempre perde quem para de lutar!

Vamos conhecer um pouco mais sobre essas atribuições na vida de um gênio da música. Aprender como ele conheceu o triunfo mesmo diante do seu encontro com o dramático silêncio que quase paralisou a sua vida.

Beethoven, transformando limitações em aliados

Ludwig Van Beethoven compositor alemão, 1770-1827 
Tocar uma nota errada é insignificante... tocar sem paixão é indesculpável! Beethoven 
Beethoven apesar de ter sido atormentado grande parte da sua vida e sua carreira por uma surdez progressiva, à medida que a sua audição se deteriorava, sua música florescia. 
A Nona Sinfonia, considerada uma das maiores obras musicais já realizadas, foi escrita quando o compositor estava quase que completamente surdo. 
O drama vivido por Beethoven, a evolução dessa deficiência e como ele superou essa adversidade estão nesse pequeno texto atribuido a Augusto Cury.

Nada é tão grave para o ser humano do que perder a sua audição. Imagine o desespero que foi para um dos maiores gênios da música, perdê-la depois de ter escrito belas composições. 

Os recursos médicos ineficazes da época levaram Beethoven a uma profunda crise psíquica. Seus pensamentos se agitaram como ondas rebeldes. Sua emoção se tornou um céu sem estrelas. Não havia flores no solo da sua vida. Perdeu o encanto pela própria existência. 

Para Beethoven deixar de ouvir e de compor músicas era o mesmo que ficar sem chão. Chegou a cogitar o suicídio. 

Mas, algo aconteceu. Quando todos pensavam que seus sonhos tinham sido sepultados pelo inquietante silêncio, surgiram os mais espetaculares sonhos no árido solo da sua emoção. 

Ante sua condição miserável ele decidiu superá-la. Ou Beethoven se calaria diante da surdez ou lutaria contra ela e faria o que ninguém jamais fez... produzir músicas apesar de não ouvir. 

Mesmo surdo Beethoven aprendeu a ouvir o inaudível. Aprendeu a ouvir com o coração. 

Não desistiu da vida, ao contrário, exaltou-a...
os seus sonhos venceram... 
o mundo ganhou... 
nós ganhamos! 

Superamos desafios com atitudes positivas, enquanto fracassamos ao focar o lado negativo. 

Você pode imaginar que influência teve a surdez sobre a vida e a obra de Beethoven? 

Se ele tivesse sido diagnosticado corretamente, se tivesse recebido um tratamento adequado, será que teríamos esse compositor tão expressivo e singular que o destacou de seus pares? 

A vida de Beethoven eram as suas composições. Podemos supor que o seu isolamento, devido a surdez, favoreceu sua genialidade. Ele aprendeu a conviver com a sua limitação e tirou proveito da circunstância. 

Com sua perseverança Beethoven alcançou uma linguagem musical cheia de emoções que provavelmente não teria em condições físicas normais. Ele transformou sua debilidade em uma das principais colaboradoras de suas obras geniais. 

A aristocracia da época falou sobre Beethoven... pobre demais para ser respeitado... excêntrico demais para ser amado... grande demais para ser ignorado! 

O rumo que você deseja dar à sua vida depende unicamente da sua escolha e do quanto o seu objetivo realmente vale a sua dedicação, a sua ousadia, o seu empenho. 

Que possamos transformar as nossas angústias em triunfo e as nossas limitações em nosso maior aliado. 

Ultrapassamos a grande maioria dos obstáculos quando decidimos andar com ousadia através deles. 

Convido você a separar 7 minutos mais para apreciar essa belíssima composição de Beethoven... Sonata al Chiaro di luna. 

É sempre um prazer estar em sua companhia. 
Um abraço especial 
Isi

Outros textos sobre VIDAS QUE INSPIRAM. Boa leitura.

A arte de ver o invisível.  Irena Sendler... uma criadora de possibilidades.

Mudar, mas mudar para melhor.  Cora Coralina... onde não há luta, não há força.

Protagonista ou Plateia?  Van Gogh e Renoir... dois gênio, duas personalidades, dois destinos. 

Fabergé e os Ovos de Páscoa Imperial.  Fabergé... a fascinate história do maior design e joalheiro de todos os tempos!

Impossible is nothing.   Hannibal... um dos maiores estrategistas e gênio militar de todos os tempos!

Me acompanhe nas Páginas do Facebook 

Bate-papo com Estilo Frases. Mensagens que Inspiram 

Equilibrio Sentimental. Essência Feminina

Um comentário:

  1. Ler os seus textos me faz muito bem Isi, obrigada por compartilhar e continue sempre postando.
    Beijos e abraços
    Caroline

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita! Volte sempre!